No Peru, Papa pede defesa da esperança e luta contra a corrupção

Segundo Papa para viver o lema da viagem apostólica, “Unidos para defender a esperança”, peruanos precisam incentivar a unidade e combater a corrupção 

Da redação, com Boletim da Santa Sé

Papa discursando durante encontro com a sociedade e autoridades do Peru /Foto: Reprodução Youtube Vatican News

“Unidos pela Esperança” lema da viagem do Papa Francisco ao Peru, foi tema do encontro do Pontífice na tarde desta sexta-feira, 19, com as autoridades, sociedade civil e com o corpo diplomático no Pátio de Honra, em Lima. Os patrimônios históricos, as belezas naturais e a pluralidade cultural — características do país sul-americano —, foram apontadas pelo Santo Padre como suficientes para a esperança, enquanto a corrupção foi adjetivada como o principal inimigo do país.

Em seu discurso, Francisco citou a presença da Amazônia no território peruano — considerada a floresta tropical e o sistema fluvial mais extensos do planeta —, os valores ancestrais do país — a hospitalidade, a estima do outro, o respeito e a gratidão pela mãe terra e a criatividade para novos projetos —, a presença da juventude — futuro vital do país — e os Santos — como Martinho de Porres —, em uma lista de razões de esperança.

Leia mais
.: Notícias sobre a viagem do Papa ao Peru

Após apontar as qualidades do país, Francisco afirmou que a esperança não é o principal desafio do Peru, e sim a unidade de seu povo. “Este povo tem a responsabilidade de permanecer unido, para, entre outras coisas, defender precisamente todos estes motivos de esperança”, comentou. De acordo com o Santo Padre, sobre estes motivos de esperança presentes em terras peruanas, estende-se uma sombra e levanta-se uma ameaça: a devastação do meio ambiente.

Ao citar sua carta encíclica ‘Laudato si’, o Pontífice expôs os efeitos da degradação dos recursos naturais como uma perda de relações vitais que acabam por alterar todo o ecossistema. “Neste contexto, ‘Unidos para defender a esperança’, significa fomentar e desenvolver uma ecologia integral (…). E isto exige escutar, reconhecer e respeitar as pessoas e os povos locais como válidos interlocutores. Estes mantêm uma ligação direta com o território, conhecem os seus tempos e processos e, por conseguinte, sabem os efeitos catastróficos que, em nome do progresso, provocam muitas iniciativas ao alterar todo o tecido vital que constitui a nação” sublinhou o Santo Padre.

Pátio de Honra em frente ao Palácio do Governo do Peru, onde Francisco encontrou-se com a sociedade e autoridades nacionais /Foto: Reprodução Youtube Vatican News

“A degradação do meio ambiente, infelizmente, está intimamente ligada à degradação moral das nossas comunidades. Não podemos concebê-las como duas questões separadas”, afirmou o Papa referindo-se a degradação moral. De acordo com o Pontífice, a corrupção é um vírus social que faz mal aos povos latino-americanos e às democracias do continente sul-americano, fator que contribui diretamente para a degradação moral dos países.

Em um apelo à sociedade e às autoridades, o Santo Padre pediu que seja feito tudo para uma luta contra a corrupção. “É um fenômeno que tudo afeta, sendo os pobres e a mãe terra os mais prejudicados. Tudo o que se puder fazer para lutar contra este flagelo social merece a maior das considerações e cooperações; e esta luta envolve-nos a todos. ‘Unidos para defender a esperança’ implica maior cultura da transparência entre entidades públicas, setor privado e sociedade civil, e não excluo as organizações eclesiais. Ninguém pode ficar alheio a este processo; a corrupção é evitável e exige o compromisso de todos”, afirmou o Papa.

Pedido às autoridades

Ao final de seu discurso, Francisco pediu aos que ocupam cargos de responsabilidade, que comprometam-se em oferecer ao povo e à terra, a segurança que nasce da convicção de que o Peru é um espaço de esperança e oportunidade para todos e não para poucos. De acordo com o Pontífice, todo o peruano e toda a peruana devem sentir que o país é seu, não de outros, para nele estabelecerem relações de fraternidade e equidade com o próximo.

“Construir um Peru que tenha espaço para todos (…), onde se possa realizar a promessa da vida peruana”, afirmou o Santo Padre. Por fim, o Papa renovou o compromisso da Igreja Católica no esforço conjunto de trabalhar para que o Peru continue a ser uma terra de esperança. “Santa Rosa de Lima interceda por cada um de vós e por esta abençoada nação”, concluiu.

Após encontro com as autoridades, sociedade civil e com o corpo diplomático no Pátio de Honra, em Lima, Papa Francisco visitou o Salão dos Embaixadores do Palácio do Governo, onde conversou de forma privada com o Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski.

Papa Francisco e Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, em encontro privado no Salão dos Emabaixadores, no Palácio do Governo em Lima /Foto: Reprodução Youtube Vatican News

O post No Peru, Papa pede defesa da esperança e luta contra a corrupção apareceu primeiro em Notícias.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta