O futuro do beato João Paulo II é exemplo de inclusão

Niterói, 25 de Abril (Niterói Católico) Segundo a Rádio Vaticano, a Igreja Católica e fiéis de todo o mundo aguardam, com alegria, a beatificação do Papa João Paulo II. O Papa polonês contribuiu muito para a vida eclesial e para o progresso social e cultural da Igreja em muitos países. A respeito dessa contribuição para a Igreja na Itália, a Rádio Vaticano entrevistou o arcebispo de Gênova e presidente da Conferência Episcopal italiana, Cardeal Angelo Bagnasco.

Segundo o purpurado, “João Paulo II entrou no coração não somente dos católicos, mas do mundo inteiro, por isso, venerá-lo nos altares será motivo realmente de grande alegria”.

Questionado sobre qual ensinamento de João Paulo II que o tocava mais, o Cardeal citou o seu Magistério, ligado aos Direitos Humanos e à dignidade do Homem, o qual, segundo Dom Bagnasco, não é de tipo sociológico, mas é uma mensagem teológica. Explicando sua afirmação, disse que “o Papa olhou para Jesus, que revela a verdadeira face de Deus e a verdadeira face do homem”, e esse Magistério marcou a consciência do mundo inteiro.

“Karol Wojtyla trouxe para o Ocidente o eco da sua história pessoal”, ressaltou o Cardeal, complementando que “a história que diz respeito à Polônia e ao Leste, na qual há tanta luta por liberdade e por igualdade” trouxe-nos um exemplo saudável. Com o seu exemplo, ensinou-nos que “dentro de uma tradição bela, forte, uma história de valores, há sempre a premissa e a condição necessária para uma abertura inclusiva e enriquecedora em relação a todas as culturas”.

Fonte: Rádio Vaticano

 

Deixe uma resposta